Seu navegador não suporta java script, alguns recursos estarão limitados. [Artigo] 5 CONDUTAS DO BOM PROFISSIONAL DE RH - N5 Treinamentos

Clique para consultar nossas Soluções e Publicações

É antiga a constatação de que empresários percebem certo distanciamento das práticas do RH em relação aos seus interesses imediatos de lucro e sobrevivência de suas empresas. Não obstante, existem profissionais de Gestão de Pessoas qualificados que conseguem convergir esses interesses visto como antagônicos, fomentando a sustentabilidade da empresa e, ao mesmo tempo, a satisfação pessoal dos respectivos colaboradores. Eles possuem um conjunto de conhecimentos e habilidades cuja aquisição lhes custou caro. Ao longo de meus 20 anos de experiência na área de RH, observando profissionais que admiro, cataloguei algumas decisões e condutas que contribuíram para o merecido destaque recebido por eles no cenário regional e até nacional. 

Queixas de Empresários insatisfeitos com o RH´s
 - RH não consegue estabelecer formalmente a meritocracia.
 - As políticas assistencialistas do RH não contribuem para o aumento da produtividade.
 - Excesso de subjetividade nas avaliações de performance.
 - RH não compreende os percalços da gestão financeira da empresa.
 - Conhecimento insuficiente de legislação trabalhista.
 - Muito entretenimento e muita permissividade.
 - Pouca contribuição para o alcance de resultados.
 

Queixas de RH's insatisfeitos com empresários

 - Empresário não conhece e/ou não valoriza o papel do RH na empresa.
 - Empresário não investe o suficiente em treinamento e desenvolvimento de pessoas.
 - Empresário prefere o tráfico de influência à técnica empregada no processo seletivo.
 - Quando inconvenientes, as políticas de progressão salarial são ignoradas pelo empresário.
 - Querem que os colaboradores adivinhem as expectativas da empresa e dos líderes imediatos.
 - Certa discrepância entre o que fala em público e as decisões de bastidores.
 - Assumem o risco do passivo trabalhista, mas, quando vem a conta, a culpa é do RH.

 

Afinal de contas, o que faz um profissional de RH se destacar no mercado?

O termo destacar-se no mercado aqui usado vai além de visibilidade nas redes sociais ou de certa fama entre seus pares. Se trata preliminarmente de uma boa fama entre seus clientes, aliada a uma agenda apertada por conta da alta demanda de empresas interessadas na sua prestação de serviços.

Além do óbvio, que é cumprir o que prometeu, se destaca em relação aos coelgas o profissional de RH que emite essas cinco condutas:

 

 

1º - Deixar claro que seu trabalho é defender o Plano Estratégico Organizacional.

É óbvio que em algum momento, na percepção de uma pessoa leiga, o gestor de RH terá que decidir entre os interesses do dono ou do coletivo de empregados. Entretanto, seu foco deve estar nos objetivos estratégicos que foram tratados e aprovados em comum acordo com a diretoria da empresa. Não é raro vermos os empresários sacrificarem seu planejamento de longo prazo por questões pessoais ou de curtíssimo prazo. Deste modo, o RH deve estar pronto para ponderar e até recomendar que a decisão do empresário seja revogada por conta dos acordos estabelecidos previamente. 

 

 2º - Manter-se atualizado da legislação trabalhista vigente, bem como suas normativas.

É cada vez maior o número de Emendas constitucionais, Projetos de Lei e Portarias que entram em vigor para alterar o conjunto de leis e procedimentos que regem a relação de emprego. A lei protege a parte mais fraca, ou seja, o colaborador. Assim sendo, um profissional de RH que está desatualizado poderá causar vários prejuízos e até falir a empresa, seja pela inércia, seja pela alteração abrupta nas políticas de Gestão de Pessoas. Na melhor das hipóteses um erro técnico do RH pode causar um mal estar na relação entre empregador e empregado. 

 

 3º - Estar envolvido com a docência ou empresa de desenvolvimento humano.

Esse envolvimento com o público garante uma constante visibilidade, acrescentando-se a divulgação do portfólio e cases de trabalhos realizados. É uma prospecção espontânea de clientes, com baixíssimos índices de rejeição.  Essa inserção no meio acadêmico também exige do profissional de RH uma constante atualização das melhores práticas do mercado. Participar de congressos e Workshops com temas relacionados a área também gera network e ótimas oportunidades de parcerias. 

 

 4º - Desenvolver e sustentar uma identidade profissional sem ruídos.

As especialidades mais comuns dentro da área de RH são: Recrutamento & Seleção; Treinamento & Desenvolvimento; e Cargos & Salários. Entretanto, outras habilidades são bastante requisitadas pelas empresas, a saber: Pesquisa de clima; Avaliação de performance; Remuneração variável; Indicadores gerenciais; Segurança do trabalho; Desenvolvimento de lideranças; Palestras; e até  a própria implementação de um setor de RH.  A depender da necessidade, as empresas irão procurar um profissional especialista no assunto em questão. Desta forma, para que o profissional tenha sua especialidade reconhecida, é importante que ele foque seu trabalho em uma solução ou num conjunto de soluções complementares entre si. Manter uma certa coerência na divulgação dos trabalhos e utilizar as redes sociais com inteligência é uma ótima estratégia de divulgação em massa. O LinkedIn é a melhor vitrine. O Instagram é um ótimo ambiente para panfletagem eletrônica. Se precisar, não hesite em procurar um profissional especialista em Marketing digital para construir sua identidade visual e te ensinar os primeiros passos com as mídias sociais.

 

 5º - Conhecer as novas tecnologias e os principais fornecedores de soluções para o setor de RH.

Foi a partir de 1970 que as empresas começaram a perceber que o RH é muito mais do que Contratar pessoas e gerir a folha de pagamento. A consultoria de RH é devedora da Psicologia organizacional. Dela surgiram os profissionais que iriam auxiliar os empresários na contratação e retenção de talentos humanos, que iriam aprimorar as relações interpessoais, garimpar e desenvolver os futuros líderes das organizações etc.  Os computadores permitiram a análise de dados e a elaboração de relatórios estatísticos que ajudaram a acelerar a tomada de decisão pelos empresários. Aos poucos foram sendo desenvolvidos programas de computador exclusivos para cada subsistema do RH. Com a popularização da internet a partir dos anos 2000, ocorreu um salto de agilidade nos processos, permitindo que muitas empresas otimizassem suas políticas de recursos humanos. E hoje, nas feiras e congressos da área, nos surpreendemos com soluções criativas e inovadoras. Quem detém as ferramentas tecnológicas mais atualizadas está na frente de seus concorrentes - essa regra existe desde os primórdios da humanidade.

 

Assista o vídeo no YouTube: https://youtu.be/rBiPLoqsLJo

MiniaturaVideoSISN5

 

 

Página para detalhes técnicos e download:

 http://www.n5treinamentos.com.br/artigos/104-baixar-sisn5

 

compartilhar
douglasb5 
 Douglas Noleto
Consultor e Palestrante em empresas do setor privado e público; Administrador de empresas, Esp. em Gestão de Pessoas e Marketing (PUC-GO); Diretor da N5 Treinamentos; Experiência de 20 anos na área de RH; professor em pós-graduações; Coach; Pesquisador e Instrutor de Eneagrama; Grafólogo; Especialista em tecnologias para consultoria em RH.
glossario 
 Glossário da N5